A ativista gambiana Jaha Dukureh é uma sobrevivente da mutilação genital feminina (MGF) e do casamento infantil forçado. Como embaixadora regional da Boa Vontade da ONU Mulheres para a África, ela está comprometida em acabar com a MGF, mobilizando os jovens e aumentando a conscientização sobre a prática prejudicial.

Este 6 de fevereiro é o Dia Internacional da Tolerância Zero para a Mutilação Genital Feminina. A MGF é uma violação dos direitos das meninas e pode levar a sérias complicações de saúde e até morte.

Segundo dados da agência, pelo menos 200 milhões de meninas e mulheres, que estão vivas hoje, sofreram mutilação genital feminina.

Leave a Reply

Your email address will not be published.