A violência contra a mulher pode começar com um levantar de voz, evoluir para agressão física e até levar à morte. Se você é vítima ou presenciou alguma situação de violência, seja ela física, verbal ou moral, denuncie. Disque 190 para casos em flagrantes e 180 para outros tipos de apoio. A evolução da violência contra a mulher pode ter consequências fatais. #ViolênciaDomésticaDenuncie #16DiasDeAtivismo

#PraCegoVer
Filme começa com uma visão de fora de uma cozinha, enquanto a câmera se aproxima de uma mesa onde a família se prepara para comer. Primeiro vemos uma mulher sentada à mesa com semblante de tristeza. Depois vemos sua filha sentada ao seu lado e um homem, marido da mulher, também senta à mesa. Ele repreende a esposa com agressões verbais. Neste momento, vemos o lettering “Agressores buscam dificultar o contato social de suas vítimas”. A mulher se levanta com cara de medo. Ela vai para o quarto, ele vai atrás. Ao entrar no quarto, ele bate a porta de maneira violenta. Ouvimos um grito da mulher, enquanto contemplamos a parede do corredor repleta de fotos felizes da família, em especial, do casal. Na tela, o lettering “70% das vítimas de feminicídio não buscaram a rede de atendimento antes de morrer”. Em seguida, vemos a mulher sentada na beira da cama. Ela está passando a mão no seu braço machucado com expressão de dor. Na tela o lettering “180 – Central de Atendimento à Mulher / 190 – Emergências”. A câmera segue para o apartamento vizinho, onde um homem (seu vizinho) ouve a briga e pega o telefone para denunciar. Ele disca 190 em seu celular. Na última cena, lemos #ViolênciaDomésticaDenuncie #16DiasDeAtivismo, as marcas Disque 190 e Ligue 180. Embaixo das marcas e o comando “Saiba mais e conheça a Rede de Atendimento à mulher em situação de violência em gov.br/mdh. Assinam o filme Ministério da Cidadania, Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e Governo Federal – Pátria Amada Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published.