Secretário da Cultura da Guiné-Bissau fala sobre importância de ter o crioulo como língua oficial

Neste 21 de fevereiro, a Unesco celebra o Dia Internacional da Língua Materna sob o tema “Línguas Sem Fronteiras”.

A agência afirma que a diversidade linguística está sendo ameaçada com o desaparecimento da mais e mais línguas. Em todo o mundo, 40% da população não têm acesso à educação no idioma que falam ou entendem.

O resgate da identidade é uma das razões que levaram o atual secretário da Cultura da Guiné-Bissau a propor que o crioulo seja língua oficial no país. Nesta entrevista exclusiva à ONU News, de Bissau, António Spencer Embaló explica o porquê da iniciativa.