Os riscos enfrentados por jornalistas que informam sobre protestos em várias partes do mundo estão chamando a atenção da Unesco, a agência da ONU para Educação, Ciência e Cultura. A agência alerta para o aumento de casos de uso excessivo da força contra esses profissionais por agentes da lei. Alguns jornalistas morreram ou ficaram feridos por balas de borracha.
Houve detidos em transmissões ao vivo, indiciados por desobedecerem a orientações para deixarem os locais ou jornalistas que ficaram sem equipamentos. De Paris, sede da agência, o chefe da Seção de Liberdade de Expressão e Segurança de Jornalistas da Unesco, Guilherme Canela, falou sobre o tema.

Leave a Reply

Your email address will not be published.